“A História de uma cidade é a História dos feitos de seus filhos.”

(Olímpio Bonald Neto)

O Instituto Histórico de Olinda é uma associação cultural privada sem fins lucrativos sediada em pleno sítio histórico da cidade. O IHO funciona ininterruptamente desde  1951, quando foi fundado pelo jornalista e escritor olindense Gastão Manguinho.

Igreja da Sé. (Litogravura de Aloísio Magalhães, 1981)
Os principais objetivos do IHO são:

II) Fundar e manter em sua sede, uma Biblioteca Pública e um Museu Histórico e Cultural.

I) O estudo da História do Brasil em geral, de Pernambuco em especial e, particularmente, da História do Município de Olinda.

III) Editar uma revista na qual serão publicados trabalhos dos sócios e documentos referentes à História de Olinda e à vida do Instituto.

IV) Promover a publicação de títulos de interesse para a divulgação da História de Olinda por todos os meios e suportes possíveis.

V) Incentivar nas instituições educacionais de todos os níveis o ensino da História, especialmente da História de Olinda.

VI) Organizar e manter um arquivo documental sistematizado e aberto aos
estudiosos.

VII) Promover a restauração e conservação de símbolos e monumentos de qualquer natureza ligados à História, existentes neste município, e o estudo dos antigos costumes e tradições locais.

VIII) Cultuar, por meio de comemoração adequada, os feitos de nossa
História e especialmente da História de Olinda.

IX) Zelar pela manutenção do título de Patrimônio Mundial concedido pela UNESCO a Olinda e promover ações para a conscientização da importância deste reconhecimento internacional.

X) Promover cursos, exposições, debates e excursões referentes ao
patrimônio histórico e cultural de Olinda.

XI) Interagir com instituições públicas e/ou privadas nacionais ou estrangeiras
na persecução dos seus fins estatutários.

Patrimônio Mundial da Humanidade

O Sítio Histórico de Olinda é Patrimônio Mundial da Humanidade, título concedido pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) em 14 de novembro de 1982. O que significa isso? O título de patrimônio mundial reconhece os lugares e os monumentos que possuem um valor universal excepcional e que são, por isso, merecedores de uma responsabilidade mundial pela sua preservação.  As candidaturas ao título de Patrimônio Mundial são analisadas por um comitê internacional. No caso de Olinda, a candidatura foi elaborada por um qualificado grupo de especialistas coordenado por Aloísio Magalhães, que era, na época, o Presidente do IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico e Nacional) com apoio da Prefeitura de Olinda na gestão do Professor Germano Coelho. A candidatura de Olinda foi aprovada por unanimidade pelos representantes dos 21 países que compunham o Comitê Internacional. A manutenção deste importante título depende diretamente da preservação rigorosa das características históricas e paisagísticas da cidade velha. Clique aqui  para ver a lista completa dos Patrimônios Mundiais UNESCO no Brasil.

Antes do reconhecimento da UNESCO, em 1982, a cidade de Olinda havia sido tombada pelo IPHAN em 1973 e recebido o título de Monumento Nacional pela lei 6.863 (de 26/11/1980) de iniciativa do Deputado Federal Fernando Coelho.

Ladeira e Igreja da Misericórdia ( Litogravura de Aloísio Magalhães, 1981)

CONTATE-NOS