“História de uma cidade é a História dos feitos de seus filhos.” (Olímpio Bonald Neto)

O Instituto Histórico de Olinda é uma associação cultural privada sem fins lucrativos sediada em pleno sítio histórico da cidade. O IHO funciona ininterruptamente desde  1951, quando foi fundado pelo jornalista e escritor olindense Gastão Manguinho.

Igreja da Sé. (Litogravura de Aloísio Magalhães, 1981)
Os principais objetivos do IHO são:

II) Fundar e manter em sua sede, uma Biblioteca Pública e um Museu Histórico e Cultural.

I) O estudo da História do Brasil em geral, de Pernambuco em especial e, particularmente, da História do Município de Olinda.

III) Editar uma revista na qual serão publicados trabalhos dos sócios edocumentos referentes à História de Olinda e à vida do Instituto.

IV) Promover a publicação de títulos de interesse para a divulgação da História de Olinda por todos os meios e suportes possíveis.

V) Incentivar, quanto possível, instituições de ensino, o ensino de História,
especialmente da História deste Município.

VI) Organizar e manter um arquivo documental sistematizado e aberto aos
estudiosos.

VII) Promover a restauração e conservação de símbolos e monumentos de qualquer natureza ligados à História, existentes neste município, e o estudo dos antigos costumes e tradições locais.

VIII) Cultuar, por meio de comemoração adequada, os feitos de nossa
História e especialmente da História de Olinda.

IX) Zelar pela manutenção do título de Patrimônio Mundial concedido pela UNESCO a Olinda e promover ações para a conscientização da importância deste reconhecimento internacional.

X) Promover cursos, exposições, debates e excursões referentes ao
patrimônio histórico e cultural de Olinda.

XI) Interagir com instituições públicas e/ou privadas nacionais ou estrangeiras
na persecução dos seus fins estatutários.

Patrimônio Mundial da Humanidade

O Sítio Histórico de Olinda é Patrimônio Mundial da Humanidade, título concedido pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) em 14 de novembro de 1982. O que significa isso? O título de patrimônio mundial reconhece os lugares e os monumentos que possuem um valor universal excepcional e que são, por isso, merecedores de uma responsabilidade mundial pela sua preservação.  As candidaturas ao título de Patrimônio Mundial são analisadas por um comitê internacional. No caso de Olinda, a candidatura foi elaborada por um qualificado grupo de especialistas coordenado por Aloísio Magalhães, que era, na época, o Presidente do IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico e Nacional) com apoio da Prefeitura de Olinda na gestão do Professor Germano Coelho. A candidatura de Olinda foi aprovada por unanimidade pelos representantes dos 21 países que compunham o Comitê Internacional. A manutenção deste importante título depende diretamente da preservação rigorosa das características históricas e paisagísticas da cidade velha. Clique aqui  para ver a lista completa dos Patrimônios Mundiais UNESCO no Brasil.

Antes do reconhecimento da UNESCO, em 1982, a cidade de Olinda havia sido tombada pelo IPHAN em 1973 e recebido o título de Monumento Nacional pela lei 6.863 (de 26/11/1980) de iniciativa do Deputado Federal Fernando Coelho.

Ladeira e Igreja da Misericórdia ( Litogravura de Aloísio Magalhães, 1981)

CONTATE-NOS